Entrevista com o Prefeito reeleito Antônio Marcos de Barros

0
663
Prefeito Barros recebe o Jornal O Paraibunense em sua casa.
Prefeito Barros recebe o Jornal O Paraibunense em sua casa.

Prefeito Barros anuncia mudanças para seu novo mandato

Finalizando seu primeiro mandando e as vésperas de começar o segundo, o Prefeito reeleito Antônio Marcos de Barros – DEM recebeu o Jornal O Paraibunense em sua residência e falou sobre vários assuntos que vêm causando polêmicas nas rodas de bate-papo e nas redes sociais. Barros esclarece questões políticas, como a campanha de 2016, fala sobre os bons momentos e principalmente sobre a crise financeira que o município enfrenta, após ter passado por um longo período de fartura.
Demonstrando um pouco de agitação e ao mesmo tempo cansado com as constantes atribulações decorrentes do cargo que ocupa, Barros abre o coração e assume passar por um período ruim de sua vida, mas demonstra coragem e determinação para superar.
Gozando de alguns dias de férias, até o final do mês, o Prefeito reeleito, ainda atendendo a várias ligações de amigos e familiares preocupados com suas condições de saúde, nos concedeu esta entrevista, de forma tranquila e descontraída, na qual apresentou um perfil do trabalho realizado nos últimos quatro anos e a sua motivação para continuar trazendo benfeitorias para o município.

Entre todos os assuntos, Barros agradece o apoio do povo paraibunense, nas eleições desse ano, anuncia mudanças no primeiro escalão, explica as condições das obras inacabadas e a previsão para concluí-las, responde sobre a possível troca administrativa do setor de água e esgoto, lamenta a falta de recursos para as festividades de final de ano e ainda menciona as possíveis mudanças para o Carnaval de 2013.

Entrevista

O Paraibunense: Após uma campanha, até certo ponto pacífica, sua administração recebeu do povo paraibunense, o aval para mais quatro anos. A que se deve todo esse apoio? O que representou para você a vitória nas urnas na eleição do dia 07 de outubro?
Prefeito Barros: Deve-se ao trabalho feito, ao trabalho realizado, da forma com que trabalhamos, da forma que desenvolvemos o trabalho na prefeitura, valorizando o funcionário, respeitando o funcionário e realizando obras. Realizamos muitas obras no momento que teve bastante dinheiro no município, que veio da obra da Gastau. Então procuramos dividir esse bolo, esse grande bolo que tivemos no momento, mas que já acabou, levando benefícios para todos os bairros, estruturando a máquina pública, comprando veículos e imóveis, e valorizando principalmente o funcionário. Então o povo entendeu esse trabalho, percebeu aquilo que fizemos e deu esse retorno para nós de 70% dos votos.

O Paraibunense: A Câmara Municipal contará para os próximos quatro anos com 11 vereadores, dois a mais que a atual legislatura. No pleito do dia 07 de outubro, o eleitor resolveu renovar, dos vereadores que tomam posse no dia 1º de janeiro de 2.013, apenas cinco se reelegeram. Avaliando a nova câmara com que o prefeito se relacionará, dois dos 11 vereadores são do PT, partido que representa a oposição ao seu governo. Como pretende trabalhar com essa “nova” câmara?
Prefeito Barros: Iremos trabalhar como sempre fizemos, com respeito aos vereadores, pedindo que eles nos ajudem com os governos estadual e federal, trazendo mais recursos, inclusive os da oposição que são ligados ao PT que possam trazer benefícios para cidade. A próxima campanha será em 2016 e que a gente tenha a sabedoria, tanto eu como prefeito, o vice-prefeito e os vereadores, nesses próximos três anos que possamos trabalhar exclusivamente pelo bem do município, esquecendo as diferenças políticas, e que sejam usadas essas diferenças na época da campanha. E a câmara faça o trabalho que tenha que fazer, fiscalizando, fazendo leis e ajudando a gente naquilo que for pertinente a sua função.

O Paraibunense: É notório que nos últimos meses, principalmente após as eleições, está havendo um considerável corte nas despesas da Prefeitura. Após um período de tranquilidade financeira, a Prefeitura de Paraibuna, enfrenta agora um momento difícil no controle de suas contas? Em sua opinião, o que vem afetando a administração financeira dos municípios e no caso específico, de Paraibuna?
Prefeito Barros: São mais de 4 mil municípios no Brasil que estão passando por essas dificuldades. Muito maiores que nós. Nós estamos com os valores estaduais e federais que diminuíram muito devido a isenção do IPI pelo governo federal, e nós especificamente, a questão da Gastau que acabou a obra em Paraibuna. Temos a perspectiva de estar voltando uma nova obra ai, e tem a Tamoios que é temporária, então estamos num período de transição, diminuiu muito os recursos nossos.

O Paraibunense: Vendo essa situação, é impossível não perguntar, e claro que o povo todo perguntaria: Uma administração que vem sendo considerada uma das melhores gestões do país, não deveria estar preparada para um período ruim? Ou seja, não caberia ter uma reserva para enfrentar um momento de crise?
Prefeito Barros: O que colocamos na campanha, que não justificava não dar o atendimento, o medicamento, ou transporte de alguma pessoa que estava doente e precisava vir da zona rural para cidade e não tinha condições. Se você tem recursos, você faz, se você não tem você não faz. Então usamos o dinheiro, pois a prefeitura não é para fazer poupança, deixar o dinheiro guardado e as pessoas precisando. É como na casa da gente, você tendo o dinheiro, você compra mais coisas para você comer, para você usar, se você não tem você não compra. Então a prefeitura é mais ou menos como na nossa casa, naquele momento que você tinha dinheiro, a Prefeitura não deixou de atender as pessoas, agora aquilo que está acontecendo, cortando os gastos, as despesas, cuidando bem da nossa casa, diminuindo as despesas, é que nós aumentamos muito o transporte, a questão dos medicamentos, isso porque tínhamos recursos. Então o que ocorre hoje, não tem nada a ver com a eleição, é exclusivamente a questão financeira.

O Paraibunense: Como pretende superar esta crise? Haverá cortes de gratificações ou de funcionários?
Prefeito Barros: Já começamos a fazer um pente fino nas despesas de telefone, luz, na manutenção, combustível, na questão de terceirização, cortamos todos os serviços terceirizados. Já conversamos com o nosso pessoal que teremos que fazer um corte nas gratificações no início do ano até pra gente ver como é que vai se comportar. As perspectivas para o Brasil, para o próximo ano, são das melhores, então não podemos deixar a Prefeitura chegar ao fundo do poço para depois fazer algo. Temos que pagar os fornecedores, temos que pagar as despesas correntes que existem. Então desde outubro já estamos fazendo esse planejamento e em janeiro teremos que fazer isso. E não obstante a isso, com essa dificuldade, muitos funcionários saem, pedem demissão. Como nós tínhamos uma situação boa financeiramente, ampliamos bastante nossos serviços, contratamos funcionários, aumentamos em 200% o número de vagas na creche, em vários setores, como no social, ampliamos demais, até os serviços, e isso gera custos, gera contratação de pessoal. Então vamos sim estar enxugando, com certeza, nos próximos dias. Tivemos um bom momento, devido as grandes obras, foi um momento excepcional para o município e que passou e fizemos grandes investimentos. Agora teremos que segurar mais as rédeas.

O Paraibunense: Já existe a definição do seu primeiro escalão para o mandato que inicia em 2013? Haverá mudanças?
Prefeito Barros: A princípio a maior mudança que vai haver no primeiro escalão, será na Diretoria de Esporte e Turismo, que o Ronaldo Fonseca vai ser o Diretor e na parte de turismo, a responsável vai ser a Regina Gonçalves. Por enquanto apenas essa mudança, podendo haver outra mudança assim que for necessário.

O Paraibunense: Quando acredita poder começar a realizar os projetos apresentados durante a última campanha ? O que almeja para este novo mandato?
Prefeito Barros: Alguma coisa ainda podemos realizar neste primeiro ano, através de emendas de deputados e verbas do governo estadual e federal, mas daremos ênfase para o segundo e terceiro ano.

O Paraibunense: Há algumas obras em andamento, o povo de certa forma acreditava que seriam inauguradas ainda neste ano, no final do seu primeiro mandato. Qual a situação de cada uma delas? O que precisa para concluir? E quando prevê a inauguração?
Prefeito Barros: Nós temos duas grandes obras que é o Ginásio de Esportes que vamos concluir até o meio do ano de 2013, até junho. E a creche que vai depender da questão financeira, prevemos concluir no final de 2013 e começo de 2014. Fizemos um prédio na frente da Escola Dr. Cerqueira César, na praça do pilão, a obra já está finalizada e em breve estaremos definindo sua melhor utilidade.

O Paraibunense: Existe alguma negociação para privatizar algum setor da administração pública? No caso específico, o setor de tratamento e distribuição de água é um setor possível de ser privatizado?
Prefeito Barros: Hoje com a criação da Região Metropolitana, a responsabilidade dos recursos hídricos é do Estado, então a tendência é que o Estado assuma essa parte de água no município, dos municípios que fazem parte da Região Metropolitana, isso faz parte do estatuto da Região Metropolitana.

O Paraibunense: Seria então a possível vinda da Sabesp para Paraibuna.
Prefeito Barros: É bem possível, nós já recebemos algumas visitas.

O Paraibunense: Caso se defina essa mudança, poderíamos almejar que seja enfim implantado um sistema de tratamento de esgoto em Paraibuna?
Prefeito Barros: O tratamento do esgoto, é o mais importante, todas as cidades da Região Metropolitana terá todo o esgoto tratado, coisa que o município não teria condição. E com a presença do Estado torna-se possível.

O Paraibunense: Ainda falando na crise, até que ponto a contenção de despesa afeta os principais eventos do município que ocorrem neste e nos próximos meses? O que muda para o evento de Natal e para a realização do Carnaval?
Prefeito Barros: Todos os eventos que fazíamos no Natal, não vamos fazer por falta de recursos. Já o carnaval certamente irá sofrer algumas alterações. Por dois motivos: um é a questão financeira, que teremos que gastar menos, e outra é valorizar mais os blocos e os músicos de Paraibuna, que é um pedido que fizeram durante a campanha, que desse a oportunidade para os músicos de Paraibuna estar tocando. Toda mudança está sendo avaliada pelo Vice-prefeito que está participando das reuniões na Fundação Cultural e vendo o que será mais interessante mudar. Para o carnaval da avenida, temos a ideia de fazer com os blocos daqui, fazer um carnaval mais para Paraibuna, pois é um pedido da comunidade, tendo em vista que tivemos muitos problemas. O pedido é que o término seja até as duas horas da madrugada, é uma solicitação da população a questão de horário.

O Paraibunense: Recentemente a Prefeitura anunciou o corte das gratificações dos funcionários e dias depois voltou atrás, mantendo o pagamento dos funcionários sem alteração para este ano. O que aconteceu?
Prefeito Barros: Tínhamos sim a intenção de cortar as gratificações ainda neste ano, como contenção de despesas, mas avaliando a questão financeira, optamos em cortar todos os eventos de final de ano, para não tirar do salário do funcionário que certamente, já estava comprometido.

O Paraibunense: Considere que há mais de sete mil pessoas realmente preocupadas com sua saúde, pois no dia 07 de outubro, fizeram questão de registrar o número do seu partido na urna eletrônica e assim esperam que você tenha todo o equilíbrio para enfrentar as tribulações e faça o melhor por Paraibuna. Para esses mais de sete mil eleitores e tantos outros, que torcem por você, o que você diria sobre sua saúde neste momento, como está enfrentando essa situação?
Prefeito Barros: Eu tenho passado um momento muito difícil, nunca enfrentado na minha vida, uma depressão muito forte em consequência de anos e anos de vida pública e os acontecimentos também nos últimos anos familiares, perdas e fui guardando isso, e sempre preocupado com a questão política e da Prefeitura, e agora caiu, cheguei a uma situação gravíssima de depressão, estou sendo medicado, estou de férias agora em dezembro, e se for necessário no começo do ano tiro uma licença saúde, até me recuperar.

O Paraibunense: O que tem feito de bom para cuidar da sua saúde, do seu equilíbrio emocional e superar essa doença tão desgastante?
Prefeito Barros: Tenho repensado minha vida, tenho me aproximado mais da minha família e meditado muito. Tudo o que aconteceu, as superações. Mas é questão de repensar as atitudes, a maneira de agir, a maneira de ser e assimilar as coisas e estou pensando aquilo que posso fazer, para cuidar melhor da minha saúde, não deixar as minhas responsabilidades como prefeito, mas também cuidando da saúde minha e da minha família, porque eu vivo a prefeitura 24 horas por dia, sábado, domingo e feriado, e tenho que repensar isso, ou então, talvez nem chegue ao final de quatro anos da mesma maneira que eu comecei.

O Paraibunense: O que mais te deixou satisfeito nesse período de sua vida e o que mais te abalou?
Prefeito Barros: o que mais me deixou satisfeito, foi as realizações, os benefícios que pudemos levar aos bairros, principalmente à população mais carente, que esperava os benefícios há mais de 10, 15, 20 ou 30 anos e nós conseguimos realiza-los nesses três anos, é o que mais me deixa satisfeito.
Enfim, o que mais me abalou nesse tempo foi a perda de muitas pessoas, familiares e amigos, que me fez repensar, até que ponto devo separar a questão familiar, da questão política. Perdi minha sogra à seis dias da eleição, no final da campanha, e analisando hoje, praticamente não tivemos luto. Esse é um arrependimento, é uma magoa muito grande que tenho comigo, é uma pessoa muito importante na minha vida, uma segunda mãe, na reta que tava, com reuniões por fazer, e que o Vitor fez as reuniões. Logo teve comício e a Luiza sempre comigo, sempre parceira. E hoje eu pude estar mais próximo dessa família.

O Paraibunense: Quando pretende dar andamento no Plano Diretor do município? E como deve acontecer isso?
Prefeito Barros: Está em andamento, houve um problema com a empresa que a Petrobrás contratou, e a gente tá cobrando eles e no início do ano deve retomar. Já está na fase das audiências.

O Paraibunense: O que espera das novas obras da Petrobrás?
Prefeito Barros: O projeto já tem licenciamento, já fez audiência, deve iniciar em junho ou julho. As pendências nós temos cobrados através do Conselho de Meio Ambiente, mas não depende nem só da gente e nem só da Petrobrás. É uma guerra que a gente vê que o município sempre fica para trás. Em termos financeiros não temos ideia, só que deve ser bem menor do que a primeira, pois já tem toda a estrutura, é uma obra bem menor.

O Paraibunense: O que espera das obras da Nova Tamoios?
Prefeito Barros: Está em andamento, deu uma parada por causa de greve, mas já retornou. Vai nos ajudar a passar o ano de 2013 para terminar as obras que iniciamos.

O Paraibunense: O Condomínio Empresarial é uma grande expectativa para o município. Quando será uma realidade?
Prefeito Barros: Provavelmente para iniciar alguma obra será em 2014. Vamos fazer uma parte de terraplanagem juntamente com a Dersa, que vai fazer um bota fora no local e vai melhorar o terreno e preparar a topografia. A previsão de início de alguma atividade será mesmo para 2014.

O Paraibunense: Há uma tremenda especulação para as próximas eleições. A candidatura do Vicê-Prefeito Vitão é praticamente inevitável. V.Excia. deve apoiar a candidatura de Vitão a prefeito nas eleições de 2016?
Prefeito Barros: As próximas eleições estão muito longe ainda. Eu nem assumi o próximo mandato e qualquer especulação desse tipo não seria produtivo para administração. Estaria antecipando o fim do mandato da gente. Tem duas coisas que eu gostaria de deixar bem claro e certo: é que nem eu e nem a Helo, pelo grau de parentesco que ela tem comigo, ela não pode ser candidata nem a prefeito e nem a vice. Isso é líquido e certo, e em relação às demais candidaturas, é que nós temos um grupo, com nove vereadores, mais de 50 candidatos a vereador e nós vamos estar trabalhando durante esses anos, e vamos ver quem será nosso candidato. Naturalmente o vice-prefeito, como eu já fui, se sobressaia numa pré-candidatura, mas a decisão final, vai ser do grupo político, no qual eu sou mais um membro. Mas tenha a certeza que o escolhido pelo grupo vai ter todo meu apoio e meu empenho e minha dedicação na campanha.

O Paraibunense: O que gostaria de pedir a população?
Prefeito Barros: Gostaria de pedir a população que tenha paciência. Analisando tudo aquilo que nós fizemos no momento bom, no momento de “vacas gordas”, que se tínhamos dinheiro, nós gastamos naquilo que achávamos melhor para população. Se hoje nos não temos aquele mesmo dinheiro, conseguimos estruturar uma máquina pública, um serviço público que é diferenciado dos outros municípios. Hoje se conseguíssemos manter os serviços que nós temos, sem fazer grandes obras, já estaríamos diferenciados dos outros municípios, então criou-se a expectativa que sempre teria as grandes obras. Então com a Tamoios a gente termina as duas obras que começamos, talvez de para fazer mais alguma, Os vereadores, eu e o Vitor, vamos correr bastante atrás de emendas com os deputados, para fazer novas obras, tem a Petrobrás que vem ai, mas não sabemos com certeza o dinheiro que vem, mas sabemos que é muito menos do que a primeira que veio. A gente procurou dividir esse bolo, com muito critério, muito cuidado, todos os bairros foram beneficiados nos primeiros quatro anos de mandato de Barros e Vitão, então aquela expectativa que seria igual, com certeza não será, mas o cuidado com o dinheiro público, o cuidado com a população, nós teremos nesses próximos anos, então muita paciência. Eu, até no momento dessa entrevista, estou num momento muito frágil da minha vida, nunca estive num momento tão ruim de saúde, mas podem ter certeza, que saindo disso, a gente volta às atividades, volta ao trabalho, ao empenho que a gente sempre teve, procurando cuidar de todos, com bastante igualdade e respeitando, principalmente os funcionários que trabalham com a gente, que hoje trabalham em paz na Prefeitura, e para o município como um todo, o pouco ou muito que tivermos para investir, será dividido naquilo que tiver mais necessidade da população.

O Paraibunense: Gostaria de mandar uma mensagem ao povo paraibunense?:
Prefeito Barros: Primeiro quero agradecer a tudo que já aconteceu, aos 20 anos de vida pública que estou, perdi duas eleições, ganhei cinco, o reconhecimento da população com o nosso trabalho, com essa eleição histórica, com uma diferença tão alta, que cominou de um trabalho feito durante esses 20 anos, então estou imensamente grato. Se hoje eu fosse embora para casa e deixasse a prefeitura, eu iria muito satisfeito, e eternamente agradecido a população de ter dado a mim essa chance de fazer algo para Paraibuna, e crescer junto com ela. E hoje com certeza eu sou uma pessoa melhor do que quando entrei na vida pública por Paraibuna e tudo isso com a ajuda da população. Então quero desejar um Feliz Natal e um Feliz Ano Novo a todos, com muita paz e saúde, e prosperidade e que os próximos anos sejam melhores do que esse.